Sustentabilidade

A Secil trabalha reconhecidamente com processos sustentáveis, assumindo o compromisso com os mais altos padrões de exigência em matéria de Sustentabilidade e Responsabilidade.

Consciente que a o seu crescimento está diretamente relacionado com a sustentabilidade da sua atuação, a Secil tem feito um grande investimento na inovação dos seus processos produtivos e produtos, na formação do capital humano de excelência e na ligação com as suas comunidades envolventes.

Políticas 

Para além de ter, atualmente, um Sistema de Gestão Integrado e uma Política integrada de Qualidade, Ambiente, Segurança e Saúde no trabalho, a Secil tem assumido, de forma voluntária, inúmeros compromissos com iniciativas ao nível da Sustentabilidade e cumprido com todas as disposições legais em vigor.

Saiba mais

Saúde e Segurança

A SECIL promove ativamente uma política de saúde, higiene e segurança no trabalho, garantindo que todas as suas instalações são locais seguros para todas as pessoas internas ou externas à Empresa e perseguindo o objetivo de “Zero Danos” e redução dos acidentes com dias de trabalho perdidos.

Política da Segurança (EN) assinada pelo CEO

Download

Alterações Climáticas

O principal gás com efeito de estufa (GEE) resultante do processo de fabrico do cimento é o dióxido e carbono (CO2), cuja emissão direta provém de duas fontes distintas: i) a calcinação dos carbonatos presentes nas matérias-primas principais (calcários e margas), que contribui em cerca de 60% para a emissão total; e ii) a queima de combustíveis nos fornos, que contribui com os restantes 40%, que resultam da junção, durante a combustão, do carbono do combustível com o oxigénio do ar, o que forma o CO2.

Nos últimos anos a SECIL tem vindo a investir fortemente para reduzir as suas emissões de CO2, aumentando a sua eficiência térmica e elétrica, aumentando o coprocessamento de combustíveis alternativos, utilizando matérias-primas secundárias e ensaiando tecnologias inovadoras de captação de carbono (microalgas) e de produção de cimento e clínquer de baixa intensidade carbónica.

Emissões Atmosféricas

O processo de fabrico de cimento tem associado a si a emissão de poluentes macro (CO2, NOx, SO2 e COVs) bem como outros micropoluentes (metais pesados e PCDD/ F). Sendo objetivo do grupo Secil reduzir a sua emissão de poluentes para atmosfera, têm vindo a ser realizados investimentos cujos resultados se comprovam pelos resultados obtidos.

A SECIL tem, ao longo dos últimos 20 anos, realizado avultados investimentos visando a redução das suas emissões dispondo de diversos meios de controlo destas emissões, designadamente filtros de mangas, queimadores de baixo NOx, sistemas SNCR (Selective non catalytic reduction) – para controlar as emissões de NOx, e injeção de cal/ hidróxido de cálcio – para controlo das emissões de SO2. Para além destes equipamentos, dispõe ainda de sistemas destinados à retenção das partículas como electrofiltros e filtros de mangas.

Atualmente, todas as unidades da SECIL dispõem de sistemas de monitorização em contínuo.

Água

A indústria cimenteira, ainda que não seja um sector significativo em termos de consumo de água, representa cerca de 2% do consumo mundial. A água utilizada no processo de fabrico (no arrefecimento de equipamentos) encontra-se em circuito fechado (reciclagem/reutilização) e parte desta perde-se por evaporação.

Consciente de que é possível melhorar o seu desempenho da gestão a água a SECIL pretende implementar em todas as suas unidades medidas que a tornem mais eficiente na gestão deste recurso essencial à sobrevivência da espécie humana.

Biodiversidade

A SECIL reconhece a importância da biodiversidade na gestão da sustentabilidade da atividade da empresa. Com o objetivo de diminuir o seu impacte sobre a biodiversidade, a SECIL tem vindo a desenvolver estratégias, nomeadamente através da implementação de Planos de Recuperação Paisagística e Planos de Ação para a Biodiversidade.

Estes planos baseiam-se na suposição de que um sistema totalmente reabilitado engloba não só a composição e estrutura das comunidades vegetais e animais, mas também a recuperação das funções e dos processos naturais do ecossistema.

O conhecimento científico e a investigação aplicada são pilares presentes no processo de recuperação paisagística das pedreiras da SECIL. O desenvolvimento de estudos científicos e a interligação de equipas multidisciplinares é essencial para a identificação de soluções e para o desenvolvimento de técnicas inovadoras. Para tal, a título de exemplo, a SECIL conta com uma vasta equipa de investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e da Universidade de Évora.

Sustentabilidade na Construção

O cimento, mais concretamente o betão, é, atualmente, um dos produtos mais essenciais à nossa sociedade, ajudando, inclusive, a um crescimento sustentável.

As propriedades únicas do betão fazem com que este seja o material de construção ideal, tornando-o o segundo material mais consumido no planeta.

Eis algumas das características que fazem com que o betão seja tão importante:

  • Durabilidade – Resistente à humidade e a ambientes particularmente adversos.
  • Versatilidade – Adequado para uma ampla gama de construções e aplicações (estradas, pontes, túneis, barragens, edifícios, entre outras).
  • Pouca Manutenção – Capaz de manter as suas propriedades ao longo do tempo.
  • Acessibilidade – Baixo custo e preço reduzido.
  • Saúde e Segurança – Apropriado para construções sísmicas e resistente ao fogo.
  • Massa Térmica – Eficiente em termos de aquecimento e arrefecimento.
  • Produção e Uso – Local (em termos médios com uma entrega a 25 kms).
  • Efeito Albedo – Material com qualidades reflexivas, absorvendo menos calor.
  • Rigidez – Estabilidade da superfície capaz de reduzir (ou mesmo) evitar a aquaplanagem.
  • Matérias-primas – Abundância de materiais.

A reciclagem de resíduos de demolição de edifícios e infraestruturas é uma forma de reduzir o uso de novos agregados, diminuindo os custos ambientais decorrentes da exploração e transporte e da quantidade de resíduos a depositar em aterro.

Numa lógica de economia circular, a Secil também aproveita subprodutos de outras indústrias, como a corticeira, para fabricar, por exemplo, argamassas e betão leve com cortiça. Para além do mais, desenvolve igualmente um conjunto de outros produtos de revestimento e isolamento térmico que melhoram a eficiência energética dos edifícios.

Responsabilidade Social

Entre as várias iniciativas de Responsabilidade Social, destacam-se as visitas de milhares de estudantes às diferentes fábricas de cimento, a Semana de Portas Abertas, as Comissões de Acompanhamento Ambiental, os apoios concedidos a projetos e entidades locais e os prémios Secil.

Saiba mais

GCCA

Para a Secil sempre foi muito importante estar presente e participar nas atividades das associações cimenteiras mais relevantes.

Inicialmente foi membro da CSI desde 2003, tendo assinado a primeira vez a carta de compromissos da sustentabilidade em 2009.

CSI – Cement Sustainable Initiative – foi fundada em 1999, como uma iniciativa dentro do WBCSD – World Business Council for Sustainable Development, por 3 grupos cimenteiros:
Cimpor, Holcim e Lafarge, para preparar o caminho para uma indústria de cimento mais sustentável.

Em 2018, a GCCA – Global Cement and Concrete Association – sucede à CSI e inicia o desenvolvimento das suas atividades e dos grupos de trabalho durante 2019. Desde o início que a Secil se associou à GCCA, como membro, partilhando dos seus objetivos e dando continuidade aos trabalhos iniciados para responder aos desafios cada vez maiores colocados à indústria cimenteira e em particular ao seu produto principal, o betão.

“GCCA aims to drive responsible industry leadership in the manufacture and use of cement and
concrete and will strive to improve the global social and environmental impact of the sector’s
activities and products. Another aim is to foster innovation and collaboration with industry
associations and inspiring architects, engineers and innovators across the globe and along the
length of the built-environment value chain.”

O programa de trabalhos da GCCA
O trabalho da GCCA tem como base seis áreas principais de trabalho:

  1. Saúde e Segurança na Indústria do Cimento e do Betão
  2. Futuro da construção e o papel do Betão
  3. Valor da sustentabilidade do Betão
  4. Diretrizes para o Betão
  5. Inovação no Cimento
  6. Melhores Práticas e Reporte no Cimento

A carta de compromissos da GCCA
GCCA Sustainabilty Charter é a carta de compromissos que os membros devem implementar e cumprir, sendo avaliados periodicamente pelo seu desempenho. A carta tem como objetivo melhorar o desempenho da sustentabilidade, e identifica cinco pilares chave que abrangem o espectro da sustentabilidade nos sectores de cimento e betão:

  1. Saúde e Segurança
  2. Alterações Climáticas e Energia
  3. Responsabilidade Social
  4. Ambiente e Natureza
  5. Economia Circular

Para melhorar o desempenho da sustentabilidade os Membros da GCCA devem:

  • Estabelecer metas para os cinco pilares da Carta de compromissos;
  • Publicar o desempenho de sustentabilidade ao nível da empresa;
  • Reportar à GCCA os KPIs de sustentabilidade no nível das fábricas verificado externamente por uma terceira parte);
  • Incentivar a implementação dos pilares da Carta em toda a cadeia de valor.

www.gccassociation.org

Indicadores

2019
Download
2018
Download
2017
Download

CSI – Iniciativa de Sustentabilidade do Cimento

A Iniciativa de Sustentável do Cimento (CSI) é um esforço de âmbito global desenvolvido por 24 grandes produtores de cimento com operações em mais de 100 países, que acreditam que a prossecução do desenvolvimento sustentável trás vantagens muito grandes para o sector. Coletivamente, estas empresas representam cerca de 30% da produção mundial de cimento e têm tamanhos muito diversos, desde grandes multinacionais a pequenos produtores locais.

O objetivo da Iniciativa é o seguinte:

  • Explorar o que significa desenvolvimento sustentável para a indústria do cimento;
  • Identificar ações e viabilizar os passos que as empresas cimenteiras podem dar, quer individualmente quer como grupo, para acelerar o progresso rumo ao desenvolvimento sustentável;
  • Disponibilizar uma estrutura para que outras empresas cimenteiras também se envolvam na Iniciativa; e
  • Criar o conteúdo e o contexto para um maior envolvimento das diversas partes interessadas.

Até este momento, a CSI continua a ser um dos maiores programas globais de sustentabilidade já realizados por um único sector industrial.

Para mais informações, queiram visitar a página de Internet da CSI em: http://www.wbcsdcement.org/index.php/en/about-csi

Conheça a CSI

Download

CSI membership resultados

2016
2015

CSI manual membership

Download

Compromissos CSI

Todas as empresas que participam na CSI (Cement Sustainability Initiative) assinaram a Carta da CSI. Este documento resume as ações individuais de cada membro que estão incluídas na Agenda de Ação, publicada em 2002. Todas as empresas que adiram à Iniciativa comprometem-se a implementar estas ações como requisitos mínimos de adesão, no âmbito do seu contributo para o desenvolvimento sustentável.

A Carta foi atualizada em 2009 e será renovada conforme necessário para fazer frente a eventuais desafios. Desde a publicação do documento em 2002, os membros da CSI acordaram ainda proceder à auditoria independente dos Compromissos da Carta e dos indicadores-chave de desempenho (KPIs) relativos a:

  • Emissões de CO2;
  • Emissões de NOx, SOx e poeiras;
  • Segurança e Saúde;
  • Água.

Apresentações

Para ver os pdfs clique aqui.

Como podemos ajudá-lo?

Contacte-nos através de um dos nossos telefones, ou submeta um formulário.