História

Uma História com quase 100 anos

Uma localização singular, com possibilidade de expedição por mar e terra, próxima de Setúbal e junto ao rio Sado, e a riqueza do filão de calcários e margas foram argumentos mais que suficientes para que, em 1904, nascesse, na serra da Arrábida, num local onde já existia exploração de materiais desde o século XVIII, uma fábrica de cimento.

Do resultado da fusão de duas empresas que operavam na região nasceu, em 1930, a Secil – Companhia Geral de Cal e Cimento. Desde essa já longínqua década de 30 do século passado até aos dias de hoje, muitas foram as alterações.

Para além das inevitáveis mudanças tecnológicas e o despertar de uma consciência ambiental, o destaque vai para a aquisição, por parte da Semapa, dos 51% do capital da Secil e dos 100% da CMP – Cimentos Maceira e Pataias, em 1994. Na origem da CMP esteve a fábrica da Maceira-Liz, inaugurada em 1923, e a fábrica Cibra-Pataias, fundada em 1950. Desde 2011 que a Semapa é detentora da totalidade do capital da Secil.

Ao longo da sua história muitos foram os marcos importantes. Eis alguns dos principais acontecimentos:

  • 1904

    Fundação

    Fundação da Companhia de Cimentos de Portugal; instalação da fábrica do Outão em Setúbal, que arranca com dois fornos verticais para uma produção de 10 000 t/ano, em 1906.

  • 1918

    Aquisição

    Companhia Geral de Cal e Cimento adquire os terrenos e instalações, que arrenda à Secil (Sociedade de Empreendimentos Comerciais e Industriais, Lda.)

  • 1923

    Inauguração Maceira

    Inauguração da fábrica Maceira-Liz.

  • 1925

    Criação

    Criação da marca Secil.

  • 1930

    Constituição

    Constituição da Secil - Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A., resultante da fusão da Secil com a Companhia Geral de Cal e Cimento e da participação das firmas dinamarquesas F. L. Smidth & Co. E Hojgaard & Schultz A/S.

  • 1950

    Inauguração Cibra

    Inauguração da fábrica Cibra-Pataias.

  • 1972

    Maior Produção

    A Secil instala o 7º forno por via húmida (processo de fabrico da altura), aumentando a sua capacidade de produção para 1 milhão de toneladas de clínquer, tornando-se na maior fábrica de cimento em Portugal.

  • 1975

    Nacionalização

    Nacionalização do setor cimenteiro; a Secil passa a ser uma empresa privada com a maioria do capital público.

  • 1978

    Arranque Via Seca

    Entrada em funcionamento do 1º forno da via seca, com comando centralizado e computorizado (800 000 t/ano), dando resposta ao crescimento do consumo interno e à necessidade de reduzir custos de produção.

  • 1982

    Fim Via Húmida

    A antiga fábrica do Vale da Rasca é desativada, abandonando-se definitivamente o processo de produção por via húmida.

  • 1994/95

    Privatização

    Privatização do capital público no setor cimenteiro; a Secil passa a ser empresa de capital inteiramente privado. A Semapa adquire 51% da Secil e a totalidade da empresa CMP, passando a ser detentora das fábricas de cimento Maceira-Liz e Cibra-Pataias.

  • 1998

    Certificação Outão

    Certificação da Qualidade da Secil pela Norma ISO 9001 e Certificação Ambiental da fábrica Secil-Outão pela Norma ISO 14001, a 4ª a ser obtida na Europa.

  • 2000

    Tunísia

    Aquisição da "Societé des Ciments de Gabès", empresa reprivatizada pelo Governo da Tunísia e que detém uma fábrica de cimento com uma capacidade de produção de cimento de cerca de 1 400 000 t/ano.

  • 2001

    Certificação CMP

    Certificação de Qualidade (Norma ISO 9001) e Certificação Ambiental (Norma ISO 14001) da empresa CMP – Cimentos Maceira e Pataias.

  • 2002

    Líbano

    Aquisição de 21,2% da empresa CDS – Ciments de Sibline, Sal, localizada a sul de Beirute, no Líbano.

  • 2003

    Aquisição

    Aquisição pela Semapa do restante capital (49%), detido pela participação dinamarquesa, passando a deter a totalidade do capital da Secil.

  • 2004

    Angola

    Aquisição pela Secil de 51% do capital da fábrica de cimento Encime, localizada na baia do Lobito, Angola.

  • 2004

    Venda

    A irlandesa CRH Plc, um dos maiores grupos de materiais para construção, adquire 49% do capital da Secil à Semapa SGPS.

  • 2005

    Compra

    Aquisição de 70% da empresa IRP – Indústria de Rebocos de Portugal, através da Secil Martingança.

  • 2006

    Aquisição

    Alteração da designação da Tecnosecil para Secil Angola, que passa a deter 51% da Secil-Lobito, antiga Encime.

  • 2007

    Investimento

    Aquisição da maioria do capital da Ciments de Sibline. Aquisição da maioria do capital da Cimentos Madeira.

  • 2008

    Fusão

    Conclusão de um processo de fusão por integração da empresa Rubetão na Secil Prebetão.

  • 2010

    Empreendimento

    Lançamento da primeira pedra da nova fábrica Secil Argamassas no Montijo.

  • 2011

    Capital

    Semapa adquire à CRH 49% da Secil passando a ser acionista única da empresa.

  • 2011

    Prémio

    Prémio de Inovação para a Sustentabilidade (European Awards for the Environment) na categoria de Gestão, uma iniciativa da Comissão Europeia, organizada pela Agência Portuguesa do Ambiente.

  • 2012

    Brasil

    Secil adquire 15% do capital da Supremo Cimento com sede em Pomerode, Santa Catarina, Brasil.

  • 2015

    Inauguração Brasil

    Aquisição da totalidade do capital da Supremo Cimento e inauguração da mais moderna fábrica de cimento do Brasil, situada em Adrianópolis, Paraná.

Como podemos ajudá-lo?

Contacte-nos através de um dos nossos telefones, ou submeta um formulário.